CIDADE E SOCIEDADE: a gnese do urbanismo moderno em Curitiba (1889-1940)
Valter Fernandes da Cunha Filho

Resumo

O presente trabalho foi escrito dentro de um contexto definido. poca, um grupo de urbanistas dirigia administrativamente a cidade de Curitiba. Colocando-se como inventores do urbanismo curitibano, estes dirigentes apresentavam-se como tcnicos e defendiam suas aes como se fossem produtos de uma racionalidade cientfica, quase inquestionvel. Esta pesquisa nasceu, portanto, da tentativa de se demonstrar que o urbanismo uma atividade poltica. Partiu-se de 1889, para mostrar que o urbanismo curitibano tem sido maturado h muito tempo. O argumento principal que o urbanismo moderno uma atividade social e poltica, operada por grupos de interesse. Neste sentido, os engenheiros, arquitetos e urbanistas deixam de ser vistos como agentes neutros e portadores da ltima palavra em matria de cincia da cidade, para serem reconhecidos como manipuladores de um discurso cientfico usado para defesa de interesses do grupo. Assim como, o Estado deixa de ser interpretado como um ente que paira sobre as classes e grupos, mantendo-se eqidistante deles, para assumir um papel ativo impulsionado pelo auto-interesse.

Palavras-chave: Urbanismo, Cidade, Grupos de Interesse, Estado, Poder.


Texto Completo: PDF
Revista Eletrnica Teses e Dissertaes Unibrasil